Deputados argentinos aprovam termos gerais da lei ‘ómnibus’ de Javier Milei – G1

Deputados argentinos aprovam termos gerais da lei ‘ómnibus’ de Javier Milei – G1

Deputados argentinos aprovam termos gerais da lei ‘ómnibus’ de Javier Milei – G1

A votação final desta sexta-feira foi a seguinte:

  • 144 votos favoráveis;
  • 109 votos contrários.

São 257 deputados no total. O governo tem 38 cadeiras na Câmara, mas conta com o apoio da oposição de centro-direita.

Pouco antes do plentário votar, a presidência divulgou um comunicado no qual afirmou que era hora “de os representantes do povo decidirem se estão do lado das liberdades dos argentinos ou do lado dos privilégios da casta e da república corporativista”.

Logo após a votação, a sessão terminou e foi agendada uma volta para a terça-feira.

Mais de metade do texto original já foi abandonado ou alterado e, mesmo com a votação favorável, trata-se de uma aprovação dos termos gerais, pois ainda haverá debates a respeito dos artigos.

Serão discutidos 382 artigos e seus anexos. Originalmente, o texto tinha 664 artigos. Em seu comunicado, o governo afirmou que sugestões foram aceitas, modificações foram adicionadas, se eliminou o capítulo fiscal e “chegamos a um projeto de consenso”.

Discussão artigo por artigo

Na discussão de cada artigo o governo vai tentar convencer os membros da oposição aberta a diálogo a votar em alguns temas mais polêmicos, como a centralização de poder, as privatizações, a mudança no conceito de legítima defesa e a possibilidade de a Argentina contrair dívidas sem a aprovação do Congresso.

Após passar pelos deputados, a lei seguirá para o Senado.

Discussões com os governadores

Na noite de quinta-feira os governadores, que têm grande influência no Congresso, pressionaram o governo a incluir uma coparticipação dos estados em um imposto que deverá ser criado.

Um ministro entrou em campo para tentar negociar esse ponto, mas ele não conseguiu convencer os governadores.

Nos próximos dias, o governo vai tentar convocar os governadores para discutir temas de distribuição de impostos para tentar facilitar a aprovação dos artigos.

Privatizações

Os deputados que negociam com o governo também não aceitaram a proposta sobre privatizações de estatais. Já houve uma redução do número de estatais que será privatizado (de 26 para 27), mas mesmo assim eles não estão satisfeitos.

Eles querem que a Auditoria Geral da Nação faça um relatório para determinar quais devem ser os valores de venda de cada uma das estatais a serem privatizadas. No entanto, o governo nao quer fazer isso e dizem que já há uma análise da chefia de gabinete sobre isso.

Deputados da União Cívica Radical, um dos partidos mais tradicionais do país, querem que a decisão sobre a privatização seja específica para cada estatal, e não no geral, como está no texto atualmente.

Votação de pacote de reformas na Argentina se estende pelo terceiro dia

Votação de pacote de reformas na Argentina se estende pelo terceiro dia

Confrontos do lado de fora

Em dois dias houve confrontos entre manifestantes e policiais do lado de fora do Congresso.

Na quinta-feira, a polícia argentina chegou a usar balas de borracha e gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes.

Dias de debates

O debate na quarta-feira terminou às 21h30. Na quinta-feira, o Congresso suspendeu as discussões à meia-noite, depois de uma longa sessão. Nesta sexta-feira, as conversas começaram às 10h.

Link original da notícia: https://news.google.com/rss/articles/CBMifWh0dHBzOi8vZzEuZ2xvYm8uY29tL211bmRvL25vdGljaWEvMjAyNC8wMi8wMi9kZXB1dGFkb3MtYXJnZW50aW5vcy1hcHJvdmFtLXRlcm1vcy1nZXJhaXMtZGEtbGVpLW9tbmlidXMtZGUtamF2aWVyLW1pbGVpLmdodG1s0gEA?oc=5

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *