Governo do RS apura possível foco de gripe aviária em mamíferos marinhos em Torres

Governo do RS apura possível foco de gripe aviária em mamíferos marinhos em Torres

Governo do RS apura possível foco de gripe aviária em mamíferos marinhos em Torres

O Governo do Rio Grande do Sul apura um possível novo foco de gripe aviária em mamíferos marinhos – caso se confirme, será o terceiro desde quarta-feira (4). Um leão-marinho foi encontrado morto na Praia Real, em Torres, no Litoral.

De acordo com a Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi), houve a coleta de material genético do corpo do animal, que foi encaminhada para análise em laboratório. Somente após a avaliação é que será possível confirmar a causa da morte.

Em reunião com o governo do RS nesta segunda (9), a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) alertou que animais têm sido encontrados mortos ou doentes entre a Praia Real e a Praia do Hermenegildo, em Santa Vitória do Palmar.

Essas notificações não alteram a condição sanitária do estado e do país de livre da gripe aviária perante a Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA) porque não há registro da doença na produção comercial.

Apesar das infecções humanas com vírus da influenza aviária serem raras, o Governo Federal solicita à população que evite se aproximar do local onde os focos foram registrados e que não toque em animais doentes ou mortos para prevenir o contágio e a disseminação da doença.

Casos da doença em animais marinhos já foram reportados no Peru, Chile, Argentina e Uruguai.

O que é e onde surgiu a H5N1?

O H5N1 é um subtipo do vírus Influenza que atinge, predominantemente, as aves.

Os vírus Influenza são divididos entre os de Baixa Patogenicidade (LPAI, leve) e os de Alta Patogenicidade (HPAI, grave).

O H5N1 faz parte do segundo grupo: isso significa que ele é disseminado rapidamente entre as aves e tem um alto índice de mortalidade entre os animais.

A Influenza Aviária foi diagnosticada pela primeira vez em aves em 1878, na Itália. Mas o H5N1 só foi isolado por cientistas mais de 100 anos depois, em 1996, em gansos na província de Guangdong, no sul da China.

No ano seguinte, ocorreu o primeiro registro da doença em humanos, em Hong Kong, segundo um documento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

VÍDEOS: Tudo sobre o RS

Link original da notícia: https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2023/10/10/governo-do-rs-apura-possivel-foco-de-gripe-aviaria-em-mamiferos-marinhos-em-torres.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *