Não é só festa: atléticas ampliam integração e vivências na faculdade

Não é só festa: atléticas ampliam integração e vivências na faculdade

Não é só festa: atléticas ampliam integração e vivências na faculdade

No Centro Universitário UniOpet, são cinco as atléticas criadas por iniciativa dos alunos: a Patronos, dos cursos da Escola de Saúde, exceto Medicina Veterinária, que tem sua própria atlética, a Taurinus; a Alligators, da Escola de Administração e Negócios; a Capiloko, da Escola de Engenharia e Arquitetura; e Os Juristas, da Escola de Direito, a única localizada no campus Centro Cívico – as demais ficam no campus Rebouças.

Johny Jucelino Oliveira, de 28 anos, é aluno do curso de Psicologia e presidente da Patronos, a Associação Atlética Acadêmica dos Cursos de Saúde UniOpet (com a sigla característica A.A.A.C.S.U.). “Resolvemos criar a nossa atlética para fomentar o networking universitário, voltado mais ao esporte e às ações sociais do que propriamente às festas e eventos. Fugimos um pouco daquele estereótipo de que atlética é só festa. Buscamos com isso crescer no meio acadêmico e profissionalmente, ao mesmo tempo em que oferecemos um escape da rotina da faculdade, com essas atividades paralelas”, conta Johny.

Inicialmente, a imagem da deusa grega Atena tinha sido escolhida para a logomarca, por representar a sabedoria e o cuidado. “Mas acabamos optando pela coruja, mascote da deusa, que se chama Patronos, origem do nome da logo da nossa atlética. Ela foi criada do zero, desde a busca pela diretoria até as seletivas de membros que fazemos até hoje”.

Johnny conta que serviu ao Exército por oito anos e pensava em fazer Educação Física antes de começar a graduação em Psicologia no UniOpet, onde foi um dos primeiros alunos matriculados. “Quando me aprofundei na busca pelos cursos, decidi pela Psicologia. Acho fascinante que nossa mente consegue controlar nosso corpo em muitos aspectos, inclusive com a superação dos limites. Pude vivenciar isso também devido ao meu histórico militar. O ambiente e a estrutura do curso são muito agradáveis. Nosso objetivo com a atlética é crescer junto com a instituição, integrando cada vez mais nossas ações conjuntas, com iniciativas acadêmicas e sociais”, afirma.

“Estou no 6º período de Ciências Contábeis, entrei para a Alligators depois de ver que é uma das poucas atléticas da área de negócios. Estamos indo em um ritmo ótimo, além de fazer bastante ações sociais com a Patronos, que sempre nos ajuda em tudo. Gostaríamos bastante de ter mais membros ativos, para conseguimos fazer um time e outras coisas”, conta Maria Eduarda Lukazevski, presidente da Alligators.

Experiência enriquecedora

Para Gabryela Bomm, 21 anos, aluna de Direito, a experiência de presidir a atlética Os Juristas é enriquecedora em vários aspectos. “A atlética nada mais é do que uma ‘continuação’ da faculdade. Tiramos dúvidas, estamos em contato com professores e coordenação, trabalhando juntos para fazer atividades com a instituição. Realizamos ações sociais em benefício da comunidade, tentamos promover ações de incentivo ao esporte, bem como festas e eventos para que o aluno também possa aproveitar e integrar com demais cursos e faculdades. Além disso, você tem a oportunidade de fazer novos amigos, desenvolver habilidades de trabalho em equipe e melhorar sua disciplina pessoal”.

A experiência esportiva também foi destacada por Lucas Leone da Silva Gomes, aluno de Engenharia de Produção e presidente da Atlética Capiloko – que ganhou seu primeiro campeonato de futsal em 2019 e busca o segundo título este ano. “Conheci a Capiloko logo no início da faculdade, inicialmente de longe, mas a pandemia foi quando de fato a atlética entrou na minha vida, como uma forma de enfrentar o ambiente caótico em que estávamos vivendo. A Capiloko possibilitou que eu me aproximasse das pessoas do meu curso e de outros, ampliando nossas bolhas sociais”, relata.

Tendo como mascote a capivara, a Capiloko surgiu em 2016 com eventos sociais e foi crescendo para incluir outras atividades. “Mais do que networking, a atlética permite que a gente realmente se aproxime das pessoas com quem convivemos, além de incentivar a prática esportiva saudável e as ações sociais. Aprendemos a lidar e identificar onde podemos, como sociedade, ajudar ou melhorar a vida daqueles que precisam. A integração e apoio da faculdade com os projetos em conjunto e também as festas trazem mais leveza e integração entre os cursos do UniOpet”.

“Aceitamos o desafio de seguir com o sonho da Taurinus, pois acreditamos que podemos chegar longe. Nosso intuito com a atlética de Medicina Veterinária é trazer cada vez mais novidades, integrações, ações sociais e muito mais. Nossas portas estão sempre abertas para todos que queiram fazer parte dessa jornada. Seja com ideias, inovações ou com muita vontade de participar com a gente”, convida Gabrielle Silva Marcondes, aluna de Medicina Veterinária e presidente da Taurinus.

Link original da notícia: https://g1.globo.com/pr/parana/especial-publicitario/uniopet/opet-inovacao-em-rede/noticia/2023/08/29/nao-e-so-festa-atleticas-ampliam-integracao-e-vivencias-na-faculdade.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *