Idosos desaparecem no interior de Roraima e famílias cobram buscas e investigação da Polícia Civil

Idosos desaparecem no interior de Roraima e famílias cobram buscas e investigação da Polícia Civil

Idosos desaparecem no interior de Roraima e famílias cobram buscas e investigação da Polícia Civil

Dois idosos desaparecerem em situações diferentes e as famílias deles cobram que a Polícia Civil investigue e faça as buscas. Os dois sumiços foram no município de Rorainópolis, no Sul de Roraima. O desaparecimento mais recente foi o de Maria Madalena Viana, de 87 anos, que sumiu no dia 25 de agosto. Antes, Aurélio Martins, de 74 anos, também desapareceu, no dia 2 de abril.

Procurada, a Polícia Civil não enviou resposta sobre os dois casos até a última atualização da reportagem.

Bombeiros também foram procurados sobre as buscas e o g1 aguarda resposta.

Aurélio Martins, desaparecido há 5 meses

Aurélio Martins de 74 anos — Foto: Arquivo Pessoal

Aurélio Martins, desaparecido há exatos cinco meses, sumiu durante um fim de semana com a família. A filha dele, Dayane de Souza, relatou ao g1 nessa sexta-feira (8) que o idoso saiu com ela para uma confraternização em um sítio na vicinal 11.

Na manhã do dia 10 de abril, um domingo, ele não foi mais visto. A filha contou que ela e o resto da família percebeu que ele não estava mais no local por volta das 10h. Desde então, a família tenta localizá-lo. O desaparecimento dele foi registrado em um boletim de ocorrência na delegacia de Rorainópolis.

No BO, a filha disse que o pai fazia uso de remédio controlado pois sofria de um problema no sistema nervoso central. Ele mora na cidade de Rorainópolis, distante do sítio onde estava quando sumiu. Moradores da região contaram para família que ele havia sido visto andando na vicinal 11, sentido à BR-174.

A filha Dayane conta que durante todos esses cinco meses, os Bombeiros fizeram buscas durante cinco vezes, mas sem sucesso.

“Nos sentimos impotentes e sem ter a quem recorrer humanamente falando”, diz ela.

A região onde ele sumiu tem uma área de mata. Desesperada, a filha faz um apelo: “o que mais queremos é buscas do Corpo de Bombeiros na mata, com cães e tudo o que possa ajudar a encontrar pelo menos os restos mortais do meu pai, infelizmente, porque já são cinco meses.”

Qualquer informação sobre o paradeiro de Aurélio Martins pode ser informada no número (95) 99142-3301, da filha dele.

Maria Madalena, desaparecida há 14 dias

A idosa Maria Madalena Viana, de 87 anos, está desaparecida há 14 dias. A neta dela, Rute de Oliveira, conversou com o g1 e relatou a avó sofre de Alzheimer.

Ela ela saiu de casa, na vila do Equador, por volta das 13h30 do dia 25 de agosto para ir até a casa do sobrinho, que morava próximo. Segundo a neta, Maria Madalena era acostumada a fazer este percurso.

Maria Madalena Viana, de 87 anos. — Foto: Arquivo Pessoal

Foi a neta quem percebeu o sumiço da avó. Ela contou ao g1 que chegou na casa dela por volta das 15h40 e não a encontrou mais. A região também tem área de mata e vicinais nas redondezas.

A família acionou os Bombeiros, que fizeram buscas com cães farejadores, mas não encontraram a mulher. Um boletim na Polícia Civil também foi registrado, mas, segundo a neta, até hoje nenhuma equipe de investigação compareceu no local e ou deu retorno à família.

A filha da Maria Madalena, Dorotéia Viana, conta que se sente frustrada e sem chão com toda a situação.

“As autoridades estão ali para prestar trabalho para sociedade. Em momento como esse, qual o trabalho da Polícia Civil? Investigar e buscando informações. Até o momento não tivemos nada disso, nem vieram aqui. A gente se sente frustrado, se sente incapaz”, disse Dorotéia.

Informações sobre o paradeiro de Maria Madalena Viana pode ser informado nos números (95) 99163-6002, (95) 99133-1389 ou (95) 99113-6140.

Link original da notícia: https://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2023/09/08/idosos-desaparecem-no-interior-de-roraima-e-familias-cobram-buscas-e-investigacao-da-policia-civil.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *