Sobreviventes e familiares dos 23 mortos em naufrágio protestam em Belém: ‘que nossa voz seja ouvida’

Sobreviventes e familiares dos 23 mortos em naufrágio protestam em Belém: ‘que nossa voz seja ouvida’

Sobreviventes e familiares dos 23 mortos em naufrágio protestam em Belém: ‘que nossa voz seja ouvida’

Sobreviventes e familiares dos 23 mortos no naufrágio que ocorreu próximo à ilha de Cotijuba, em Belém, se mobilizaram em uma manifestação nesta terça-feira (12). O caso completou um ano na última sexta (11).

Vindos do Marajó, os manifestantes mostraram indignação pela lentidão do processo que tem Marcos Oliveira como réu. Ele era o comandante responsável pela lancha Dona Lourdes II e segue em liberdade.

O protesto iniciou com uma concentração no Terminal Hidroviário De Belém e seguiu em uma caminhada até a Assembleia Legislativa do Pará (Alepa).

Camisa estampa o rosto de todas as vítimas do naufrágio. — Foto: Fábia Sepêda / TV LIberal

A embarcação saiu de um porto clandestino em Cachoeira do Arari, no Marajó, no dia oito de setembro de 2022, com destino a capital Belém. Entre os 23 mortos estavam mulheres, homens e crianças.

“Que a nossa voz seja ouvida em todo o Pará, porque nós estamos na luta e não vamos desistir. Somos seres humanos e precisamos de respeito. Que as autoridades tomem providências”, pediu dona Diva, mãe de uma das vítimas do ocorrido.

Os familiares e sobreviventes fazem questão de pontuar que uma das 23 mortes foi de uma mulher grávida, e, por isso, consideram 24 vítimas no naufrágio.

Manifestantes durante protesto nesta terça-feira (12). — Foto: Débora Soares / TV Liberal

A Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon-PA) confirmou que a Dona Lourdes II não tinha autorização para operar no Terminal Hidroviário da Foz do Rio Camará, de onde embarcações regulares partem do Marajó.

Em trâmite na Justiça, a acusação diz que houve omissão de socorro. Depoimentos relataram que o comandante pulou no barco com sua esposa para se salvar e fugir, sem desamarrar os botes para que os tripulantes pudessem usar. A defesa nega.

Sobre o caso, a Justiça do Pará disse apenas que “o processo no qual figura como réu Marcos de Souza Oliveira está em tramitação na 2ª Vara do Tribunal do Júri de Belém”.

VÍDEOS com as principais notícias do Pará

Confira outras notícias do estado no g1 Pará.

Link original da notícia: https://g1.globo.com/pa/para/noticia/2023/09/12/sobreviventes-e-familiares-dos-23-mortos-em-naufragio-fazem-manifestacao-em-belem-que-nossa-voz-seja-ouvida.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *