Soldado do Exército suspeito de matar enfermeiro durante briga no Acre tem prisão preventiva decretada

Soldado do Exército suspeito de matar enfermeiro durante briga no Acre tem prisão preventiva decretada

Soldado do Exército suspeito de matar enfermeiro durante briga no Acre tem prisão preventiva decretada

O soldado é de Rio Branco e estava no interior a serviço pelo 7° Batalhão de Engenharia de Construção (7º BEC). Ele recebeu ordem de prisão dentro do alojamento do batalhão horas após o crime, confessou que matou o enfermeiro e entregou a arma.

LEIA MAIS:

O crime ocorreu por volta das 4h do último domingo em frente a um ginásio da cidade. A Polícia Militar (PM-AC) informou que o soldado e o enfermeiro estavam com alguns amigos consumindo bebida alcóolica quando se desentenderam.

O soldado foi até o alojamento do 7º BEC, pegou uma faca, voltou e desferiu três golpes na região do tórax e abdômen de Júnior, que morreu no local. Após o crime, Ian de Souza voltou para o alojamento com medo de represálias.

Em silêncio

O militar foi ouvido pela Polícia Civil ainda nesse domingo. Segundo a delegada Jade Dene, o soldado ficou calado durante o depoimento por orientação da defesa. “Ficou por determinação do advogado dele, é um direito dele. Só disse que a faca era dele mesmo, mas não assumiu nada com relação ao crime. Foi prisão em flagrante e não tem muito o que duvidar”, resumiu.

Após o depoimento na delegacia de Santa Rosa do Purus, o soldado voltou para o quartel para ficar à disposição da Justiça. Ele será transferido para Rio Branco para ficar detido em uma área militar.

Apesar de falar que estava sendo orientado por um advogado, o soldado não apresentou uma procuração da defesa. “Nem procuração ele juntou [ao processo] e nem o advogado compareceu no interrogatório. Deve ter conversado com ele”, confirmou.

A delegada disse ainda que as investigações apontam que a briga não era com o enfermeiro, mas com alguns conhecidos dele e ele foi defender um amigo quando foi esfaqueado. “Pelo o que a gente consta é isso, mas não terminamos de fazer todos os termos de depoimentos. Ouvimos duas pessoas até agora, as investigações continuam”, concluiu.

José Rodrigues Júnior morreu após levar três facadas durante discussão com soldado do Exército — Foto: Reprodução

Apresentação da filha antes do crime

A morte do enfermeiro causou comoção na população de Santa Rosa do Purus. Segundo o técnico em enfermagem e tio de Júnior, Aldo Moura, o sobrinho estava voltando para casa quando viu a confusão e voltou para ajudar os amigos.

Aldo conta ainda que esteve com o sobrinho durante o dia em um passeio com familiares e amigos. No início da noite, Júnior saiu do local dizendo que iria para casa se arrumar para assistir uma apresentação de quadrilha junina que uma das filhas iria participar. Ele era pai de duas meninas.

Essa foi a última vez que Moura viu o sobrinho. “De lá, eu vim para casa. Soube agora de manhã pela minha esposa, que está em Rio Branco com meu filho, e me ligou perguntando se eu tinha visto o grupo da família. Liguei minha internet e vi o que aconteceu”, destacou.

Ainda segundo o técnico de enfermagem, Júnior trabalhou cerca de três anos na saúde municipal e saiu em junho após o fim do contrato. Recentemente ele trabalhava na fazenda do pai.

“Fica o desejo de justiça. Somos de uma família grande, é difícil e é um momento que a gente falta perder a cabeça. Pedimos a Deus para acalmar para não fazer besteira, o pai dele está muito chocado”, concluiu.

‘Muito brincalhão’, diz amigo

O enfermeiro Wilmington Braña Bispo trabalhou com Júnior na Saúde do município e lamentou a perda do amigo. Ele diz que o colega era muito querido por todos na unidade de saúde, era muito alegre e brincalhão.

“Era um cara muito querido por todos onde trabalhou, muito brincalhão. Era tranquilo, um pai responsável. Gente fina, era tranquilo. Éramos amigos, sou muito amigo da família dele também”, confirmou.

Em publicação na rede social, o deputado estadual e também enfermeiro, Adailton Cruz, pediu justiça pela morte do colega.

“Recebi com perplexidade a notícia do assassinato brutal e covarde do jovem colega Enfermeiro, ocorrido nesta madrugada em Santa Rosa do Purus/AC. Aos amigos e familiares, a minha solidariedade e pesar, que Deus conforte todos. Às autoridades o nosso pedido de justiça, que sejam tomadas todas as medidas necessárias e que o assassino seja identificado e devidamente punido. Descanse em paz José Rodrigues de Moura Júnior!”, disse.

Veja a nota do 7º BEC na íntegra:

O Comando do 7º Batalhão de Engenharia de Construção (7º BEC) lamenta informar que na madrugada do dia 3 de setembro de 2023, na cidade de Santa Rosa do Purus-AC, houve um desentendimento, com vias de fato, envolvendo um militar do 7º BEC e um civil, o senhor José Rodrigues de Moura Júnior. Esta rixa resultou na perda da vida do senhor José Rodrigues.

Neste momento, o militar do 7º BEC, envolvido na briga que resultou na morte de José Rodrigues, encontra-se sob custódia da Agência do Sistema Integrado de Segurança Pública Municipal, aguardando para prestar depoimento. Após a realização do mesmo, o militar será recolhido para a sala de reabilitação social do 4º Pelotão Fronteira do 4º Batalhão de Infantaria de Selva, ficando à disposição da Justiça.

Diante do exposto, informamos que será aberto um Processo Administrativo para apurar o caso no âmbito da Justiça Militar e que o 7º BEC está colaborando com as investigações.

Neste momento de profunda dor e pesar, externamos as mais sinceras condolências aos familiares e amigos do senhor José Rodrigues de Moura Júnior.

Reveja os telejornais do Acre

Link original da notícia: https://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2023/09/04/soldado-do-exercito-suspeito-de-matar-enfermeiro-durante-briga-no-acre-tem-prisao-preventiva-decretada.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *