Conselho de Medicina de SE interdita eticamente Maternidade Nossa Senhora de Lourdes

Conselho de Medicina de SE interdita eticamente Maternidade Nossa Senhora de Lourdes

Conselho de Medicina de SE interdita eticamente Maternidade Nossa Senhora de Lourdes

De acordo com o Cremese, com a interdição, apenas casos graves serão recebidos pela maternidade. O conselho realizou vistorias em abril, junho e agosto e constatou as irregularidades.

Gerida pelo governo do estado, a maternidade é referência na assistência a pacientes de alto risco.

Auto de interdição do Conselho Regional de Medicina — Foto: Anna Fontes/TV Sergipe

Problemas na maternidade

Em março, o Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (Sindimed-SE) reuniu denúncias de profissionais da saúde que atuam na maternidade relacionadas ao excesso de demanda. Eles acreditavam que o problema estava relacionado, dentre outras coisas, “ao desvio de modalidade”, já que a maternidade, criada para receber pacientes de alto risco, passou a ser porta aberta.

Os profissionais também denunciaram superlotação nas enfermarias, com relatos de pacientes internadas recebendo atendimento em cadeiras, além da falta de controle de fluxo de visitantes.

O que diz a Secretaria da Saúde

Através de nota, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que vem trabalhando para o dimensionamento padrão das escalas médicas demandadas pela Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), referência na assistência de alta complexidade no estado de Sergipe.

A secretaria disse ainda que busca soluções de forma colaborativa e, inclusive, comunicou oficialmente ao Conselho Estadual de Medicina de Sergipe (Cremese), sobre as medidas a serem adotadas para melhorar o fluxo da unidade, a exemplo da regulação da porta, que faz parte da política adotada pela Rede Estadual de Saúde.

A nota citou ainda que com a abertura da nova maternidade de Aracaju, muitos médicos solicitaram redução da carga horária na MNSL, bem como demissão. E que existe um credenciamento para contratação de médicos aberto. No entanto, não houve adesão desses profissionais para trabalhar no local, o que provocou o aumento da necessidade de novos profissionais médicos. Para suprir essa demanda, a SES disse ainda que está preparando um novo credenciamento médico com novos valores para reforçar as escalas.

Link original da notícia: https://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2023/09/04/conselho-de-medicina-de-se-interdita-eticamente-maternidade-nossa-senhora-de-lourdes.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *