Trabalhadores resgatados em situação análoga à escravidão são flagrados comendo tamanduás no Piauí

Trabalhadores resgatados em situação análoga à escravidão são flagrados comendo tamanduás no Piauí

Trabalhadores resgatados em situação análoga à escravidão são flagrados comendo tamanduás no Piauí

Os trabalhadores flagrados comendo tamanduás atuavam na atividade de corte da palha de carnaúba. Todos eles eram adultos e moravam em localidades próximas à frente de trabalho.

Outros 25 trabalhadores foram resgatados na atividade de corte de palha de carnaúba em Cajueiro da Praia. Eles eram oriundos de Barroquinha, no Ceará, e foram aliciados para a atividade. Quatro trabalhadores foram resgatados em atividade de pedreira em Piripiri. Eles eram residentes do município de Nazária.

A ação do Grupo Especial de Fiscalização Móvel de Resgate de Trabalhadores foi realizada de 20 e 30 de agosto. Com o novo resgate, o Piauí já acumula 125 trabalhadores resgatados em situação análoga à de escravidão somente em 2023.

Trabalhadores resgatados em Batalha, no Piauí — Foto: Divulgação/MPT-PI

Segundo o procurador do trabalho, José Wellington Soares, que participou da operação, em todas as frentes de trabalho a situação dos trabalhadores eram precárias.

“São situações que nos preocupam bastante. As condições de trabalho foram as piores possíveis: alojamentos completamente improvisados, em casebres no meio do mato, debaixo de árvores, alimentação preparada sem condições mínimas de higiene, trabalhadores se alimentando de caças”, disse.

Durante a Operação Resgate III foram assinados seis Termos de Ajuste de Conduta e pagamentos de verbas rescisórias que totalizaram R$ 145.733, além do pagamento de R$ 71.941 de indenização por danos morais individuais e R$ 100 mil de indenizações por danos morais coletivos. Como o relatório da operação ainda não foi finalizado, ainda não houve instauração de inquérito civis, notícias de fato ou procedimentos.

O Piauí ocupa, juntamente com o Maranhão, o quarto lugar entre os Estados com o maior número de resgatados, perdendo apenas para Minas Gerais (204), Goiás (126) e São Paulo (54).

A operação é uma ação conjunta de combate ao trabalho análogo à de escravidão e foi realizada em parceria com seis órgãos: Ministério Público do Trabalho, Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério Público Federal, Defensoria Pública da União, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.

VÍDEOS: Assista às notícias mais vistas da Rede Clube

Link original da notícia: https://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2023/09/05/trabalhadores-resgatados-em-situacao-analoga-a-escravidao-sao-flagrados-comendo-tamanduas-no-piaui.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *