Sem insumos, famílias denunciam que estão comprando remédios para pacientes internados no HUT

Sem insumos, famílias denunciam que estão comprando remédios para pacientes internados no HUT

Sem insumos, famílias denunciam que estão comprando remédios para pacientes internados no HUT

Uma mulher, que preferiu não se identificar, contou que o pai está internado no HUT desde sábado (26) e precisou fazer uma cirurgia no intestino. A filha reclamou da falta de medicamentos e outros insumos no hospital.

“É um descaso grave. É falta de medicação, água, ar condicionado quebra. É um caos”, declarou.

A filha de um paciente que sofre de epilepsia precisou comprar o medicamento para o tratamento do pai, internado há um mês com problemas de convulsão.

“É horrível, porque além da gente não estar tendo força para cuidar dele, ainda tenho que comprar a medicação. É um remédio que o custo dele não é barato. Ele toma duas cartelas em 15 dias”, contou.

Desde segunda-feira (28), o Hospital de Urgência de Teresina suspendeu a realização das cirurgias de urgência devido à falta de insumos. Esses procedimentos são realizados agora por meio de agendamento na própria unidade de saúde.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) informou que as providências estão sendo tomadas como a conclusão de processos licitatórios e emergenciais para o restabelecimento e o abastecimento do HUT.

Falta até seringa

Funcionários também reclamaram da dificuldade em atender os pacientes pela falta de insumos. “A gente está com um suporte crítico. Faltando muitos remédios, principalmente antibióticos. Ontem faltou agulha para fazer os exames de bioquímica”, revelou a técnica em enfermagem Natália de Sousa.

O presidente do Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Estado do Piauí, Erick Ricelli, informou que faltam medicações para anestesia em geral, antibióticos, insulina e até fitas para medição de glicose.

Para o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-PI), a falta de insumos no HUT é um problema que se repete com frequência na unidade de saúde e o hospital foi notificado várias vezes pela situação.

“Nós vamos retornar ao hospital, nós temos um processo em aberto referente a isso. É importante que a gente deixe claro para a sociedade, que os profissionais de enfermagem e outros da área de saúde seguem um código de ética profissional, que assegura que se eles não tiverem as condições minímas de segurança pode se recursar a atuar”, declarou o conselheiro do Coren-PI, Samuel Freitas.

Ações judiciais

Para o promotor de Justiça Eny Marcos Pontes, estamos com uma crise muito séria na saúde pública do município de Teresina e a situação tem se agravado ao longo do tempo. O Ministério Público agendou audiência prevista para o dia 13 de setembro.

“Apesar de todas as iniciativas do Ministério Público, os órgãos de controle, da sociedade cobrando saúde pública. Caso necessário ingressaremos com ações judiciais pedindo liminar”, declarou.

O Hospital de Urgência de Teresina está realizando, diariamente, todas as cirurgias de emergência, ou seja, as que o paciente corre risco de vida. Já as cirurgias de urgência elas estão sendo realizadas mediante uma programação.

A Fundação Municipal de Saúde está trabalhando, junto aos fornecedores, para que seja normalizado o abastecimento de insumos no menor espaço de tempo.

VÍDEOS: Assista às notícias mais vistas da Rede Clube

Link original da notícia: https://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2023/08/30/sem-insumos-familias-denunciam-que-estao-comprando-remedios-para-pacientes-internados-no-hut.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *