‘Irritator’: o nome de fóssil de dinossauro que indica contrabando do Piauí para a Alemanha nos anos 1990

‘Irritator’: o nome de fóssil de dinossauro que indica contrabando do Piauí para a Alemanha nos anos 1990

‘Irritator’: o nome de fóssil de dinossauro que indica contrabando do Piauí para a Alemanha nos anos 1990

A origem do nome do fóssil de um dinossauro, “Irritator”, dá uma pista da origem do objeto que hoje está Museu de História Natural, localizado em Frankfurt. Ao contrário do que se pensa, “Irritator” não diz respeito às características do animal, mas ao estado de espírito dos pesquisadores alemães quando perceberam que adquiriram o fóssil quase caindo em um golpe.

A situação teve início nos anos 90. Paleontólogos do Piauí acreditam que, na época, os contrabandistas, ao encontrarem o fóssil do tronco do dinossauro Irritator, localizaram somente uma parte do crânio.

Para conseguirem vender, complementaram com gesso e venderam para paleontólogos alemães, que reagiram com irritação, originando o nome.

A reação é encarada como uma confissão, já que mostra que o fóssil não os pertencia anteriormente. As características do material indicam que fazia parte do patrimônio natural brasileiro, possivelmente do lado piauiense da Chapada do Araripe, localizada entre Araripina (PE) e Simões (PI), descoberto no início dos anos 90.

Reconstrução do crânio do Irritator challengeri feita com peças impressas por uma impressora 3D — Foto: Reprodução/Twitter/Olof Moleman

Contrabando

O diretor do Museu de Arqueologia e Paleontologia da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Juan Cisneros, destacou que este é um dos artefatos mais valiosos para o Piauí.

“Com certeza ele não saiu legalmente, porque os fósseis são propriedade da União. Eles não podem ser comercializados, e o museu que é o detentor atual do fóssil lá na Alemanha menciona que eles compraram o fóssil nos anos 90, então ele certamente saiu por meios obscuros, talvez disfarçado”, explicou Juan.

O paleontólogo destacou ainda que há uma grande possibilidade do fóssil retornar ao Piauí, já que foi encontrado na Chapada do Araripe, além da iniciativa de retorno ter apoio de um grupo de trabalho.

Pedido de devolução

Pesquisadores do Brasil e da Europa pedem a devolução de um fóssil do dinossauro ‘Irritator’, que foi encontrado do Piauí e levado ilegalmente para a Alemanha. O artefato se encontra hoje no Museu de História Natural Senckenberg, localizado em Frankfurt.

O Museu de Arqueologia e Paleontologia da Universidade Federal do Piauí (UFPI) coleciona fósseis de animais e plantas que se desenvolveram somente no Estado, o que pode ter atraído contrabandistas internacionais.

No estudo deste ano, os pesquisadores europeus reconheciam o “status possivelmente problemático” do fóssil, comprado pelo Museu Estadual de História Natural de Stuttgart de um comerciante de fósseis em 1991. O comerciante, por sua vez, teria importado o fóssil para a Alemanha antes de 1990.

O documento é endereçado à ministra da Ciência, Pesquisa e Arte do Estado de Baden-Württemberg, província onde está localizado o Museu Estadual de História Natural de Stuttgart, que detém o fóssil brasileiro.

Recuperação de outro fóssil

Recentemente, o paleontólogo Juan Cisneros, juntamente com um grupo de cientistas do Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco, conseguiram repatriar outro fóssil também contrabandeado para a Alemanha. O artefato está abrigado hoje em um museu cearense.

VÍDEOS: Assista às notícias mais vistas da Rede Clube

Link original da notícia: https://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2023/09/05/irritator-o-nome-de-fossil-de-dinossauro-que-indica-contrabando-do-piaui-para-a-alemanha-nos-anos-1990.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *