Enfermeira diz que foi agredida com cabeçadas pelo ex, servidor do TJ-PI: ‘não é amor, é sentimento de posse’, diz vítima

Enfermeira diz que foi agredida com cabeçadas pelo ex, servidor do TJ-PI: ‘não é amor, é sentimento de posse’, diz vítima

Enfermeira diz que foi agredida com cabeçadas pelo ex, servidor do TJ-PI: ‘não é amor, é sentimento de posse’, diz vítima

O g1 tentou, mas não conseguiu localizar Danilo Belo para comentar sobre o assunto.

Ela relatou, em entrevista à TV Clube, que as agressões começaram durante uma viagem do casal ao município de São Raimundo Nonato, Sul do Piauí.

No início, segundo Carlene, as agressões eram verbais, por meio de xingamentos. Ela contou que Danilo era agressivo, principalmente em discussões ocasionadas por ciúmes. Em uma dessas situações, segundo ela, a mãe dele presenciou uma das agressões e tentou intervir.

“O principal motivo são os ciúmes, o sentimento de posse, de ver como um objeto, que é seu. Não é amor, é sentimento de posse”, declarou Carlene.

Enfermeira Carlene Nobre denuncia servidor do TJPI por violência doméstica — Foto: Christian Sousa /TV Clube

Carlene decidiu registrar um Boletim de Ocorrência (BO) quando retornou de São Raimundo Nonato a Teresina e ocorreram mais agressões. Ela foi incentivada por amigas a comunicar à Polícia Civil.

Ela decidiu também expor a situação e as marcas das agressões nas redes sociais. Em nota, o Tribunal de Justiça (TJ-PI) informou que o suspeito será exonerado.

Sobre o relacionamento

Carlene e Danilo começaram a namorar em junho de 2021. Contudo, em janeiro do ano passado eles terminaram. O casal só reatou o relacionamento em março deste ano. Desde então, segundo a enfermeira, o suspeito começou a demonstrar um comportamento mais agressivo.

“Teve situações parecidas, mas não nesse nível. Havia ciúmes mútuo, porém a dele já era a parte mais doentia, sabe? De posse, de que é dele. Nós terminamos porque não estava dando certo, só que quando retornou, ele ficou com mais raiva por não aceitar que eu havia saído com outras pessoas”, lembrou.

Enfermeira Carlene Nobre denuncia servidor do TJPI por violência doméstica — Foto: Christian Sousa /TV Clube

Alívio

A vítima contou que se sente aliviada por ter terminado o relacionamento e ter denunciado o caso à Polícia Civil. Carlene afirmou que, agora, se sente livre.

“A pessoa nunca espera passar por isso, mas a sensação agora é de liberdade. Eu me sentia presa, não podia ser quem eu era por conta de outra pessoa para poder fazer a vontade de outras pessoas. Eu não desejo isso para ninguém”, disse.

A enfermeira ainda incentivou outras mulheres que estão passando por situações semelhantes a denunciarem.

“Se você for vítima, se você estiver escondendo por trás de uma máscara, não deixe isso ir pra frente. Eu estou com o olho machucado. A gente fica cega quando está em um relacionamento, mas você pode ficar, literalmente, cega se você empurrar com a barriga. Então, denuncie. Não romantize qualquer tipo de violência”, comentou.

Como denunciar

Rede de Proteção à Mulher no Piauí — Foto: Arte Adelmo Paixão/g1 PI

Delegacias da Mulher em Teresina — Foto: Arte Adelmo Paixão/g1PI

Delegacias da Mulher no interior do Piauí — Foto: Arte Adelmo Paixão/ g1 PI

VÍDEOS: Assista às notícias mais vistas da Rede Clube

Link original da notícia: https://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2023/10/17/enfermeira-diz-que-foi-agredida-com-cabecadas-por-servidor-do-tj-pi-nao-e-amor-e-sentimento-de-posse-diz-vitima.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *