Herança na ‘Jamaica Brasileira’: conheça o DJ que decidiu seguir os passos do pai, o famoso ‘Lobo’, no reggae

Herança na ‘Jamaica Brasileira’: conheça o DJ que decidiu seguir os passos do pai, o famoso ‘Lobo’, no reggae

Herança na ‘Jamaica Brasileira’: conheça o DJ que decidiu seguir os passos do pai, o famoso ‘Lobo’, no reggae

Para que a tradição regueira se mantenha “viva”, o estilo musical muitas vezes é passado de geração em geração. Como é o caso de Diedy Soares, de 28 anos, conhecido no mundo do reggae como “Didy Clif, o Filho do Lobo”.

Como o próprio nome já diz, Diedy é filho de Antônio José, o famoso “Lobo”, DJ de reggae que se tornou um verdadeiro fenômeno na década de 1990. Dado seu importante legado, muitos o consideram o “maior DJ de todos os tempos”.

Nascido no povoado Ariquipá, no município de Bequimão, Antônio se mudou para São Luís aos nove anos de idade, com o objetivo de estudar e ajudar sua família, de origem humilde. Quatro anos depois, ele conheceu o falecido radialista e regueiro Tony Tavares, que, na época, trabalhava como DJ no Clube Quilombo, no Espaço Aberto.

Interessado na música, José passou a acompanhar Tavares nas festas do Quilombo e aprendeu a utilizar os equipamentos de som. Após Tony sair do clube, Antônio assumiu seu lugar como DJ e, rapidamente, se tornou um sucesso.

DJ Antônio José, “O Lobo” — Foto: Divulgação

Segundo Diedy, Tavares foi o principal incentivador para o pai se tornar DJ, além de melhor amigo e professor no reggae.

“Tony Tavares foi o ‘pivô’ de papai, professor dele no reggae e muito amigo”, disse Diedy em entrevista ao g1.

Mas foi com a radiola “Estrela do Som” que José se consolidou como “O Lobo” nos salões de reggae. Sempre criativo e inovador, o DJ criou famosas vinhetas e jargões, como, por exemplo, a clássica “Sequência Demolidora”.

Quando os equipamentos de amplificação e controle passaram ser colocado em mesas, Antônio também foi um dos primeiros DJs a tocar de frente e interagir com o público.

“Ele foi inovador e criativo, sendo o primeiro DJ a tocar em cima da música e de frente para o público. A primeira sequência a ser criada foi a dele, a ‘Sequência Demolidora’. Papai era alegre, sempre interagia com o povo”, afirmou Diedy.

A partida do “Lobo” foi prematura. Ele faleceu aos 26 anos de idade, em setembro de 1996, após um acidente automobilístico na Avenida Jerônimo de Albuquerque, em São Luís. O enterro foi marcado por muita comoção e homenagens da comunidade regueira.

De pai para filho

Diedy Soares é conhecido no mundo do reggae como ‘Didy Clif, O Filho do Lobo’ — Foto: Arquivo pessoal

Inspirado no pai, Diedy Soares começou sua carreira como DJ de reggae ainda jovem, aos 14 anos. Ele conta que a mãe, Leonete Soares, o ensinou a amar o estilo e a perceber que ele “corria em suas veias”.

Para honrar a memória do “Lobo”, Diedy adotou um estilo musical semelhante ao do pai: “Ele tinha um estilo bastante agitado, gostava de músicas ‘mais para cima’. As pessoas que conheceram meu pai falam que tenho um estilo igual ao dele”.

Ainda segundo “Didy Clif”, o objetivo é continuar o legado de Antônio, que descreve como uma pessoa “incrível” e “humilde”.

“A minha maior inspiração é a forma de como as pessoas falam dele com brilho nos olhos. Ele era uma pessoa incrível, humilde, que tinha uma bondade no coração imensa. Meu objetivo de hoje e sempre é continuar o legado dele”.

*Sob supervisão de Liliane Cutrim, g1 MA

Link original da notícia: https://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2023/09/08/heranca-na-jamaica-brasileira-conheca-o-dj-que-decidiu-seguir-os-passos-do-pai-o-famoso-lobo-no-reggae.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *