SENAI Ceará oferece mais de 30 cursos voltados para a área da Transição Energética

SENAI Ceará oferece mais de 30 cursos voltados para a área da Transição Energética

SENAI Ceará oferece mais de 30 cursos voltados para a área da Transição Energética

Você pensa em passar por uma transição de carreira, ou se qualificar ainda mais no setor de energias renováveis? Se esse é o seu caso, esta dica é para você! Segundo especialistas em recursos humanos, cada vez mais indústrias demandam profissionais com essa expertise. De olho no mercado aquecido, o SENAI Ceará conta com 32 cursos profissionalizantes nessa área, além da de segurança do trabalho.

Para se capacitar, os interessados podem procurar as três unidades em Fortaleza (Barra do Ceará, Centro e Parangaba), além de Maracanaú, na região metropolitana de Fortaleza, Sobral, na região norte do Estado, e Juazeiro do Norte, na região do Cariri.

Na Barra do Ceará, por exemplo, há equipamentos modernos que propiciam uma capacitação de alto nível. “O centro de treinamento avançado foi planejado para o treinamento do trabalhador nas novas tecnologias do setor de distribuição de energia”, ressalta o coordenador da unidade, Sales Brandão.

O centro conta com área de 14.000 m2 e garante todas as condições de segurança para que os alunos possam desenvolver as práticas da profissão — Foto: divulgação

A capacitação dos novos profissionais para as áreas de geração, transmissão e distribuição de energia; energias renováveis e segurança do trabalho é a prova de que o SENAI Ceará está alinhado à chamada transição energética.

O tema gera importantes debates sobre a necessidade da redução de emissões de dióxido de carbono (CO2) em todo o mundo. E não é em vão. Segundo a publicação digital, Our world in data, especializada em pesquisas empíricas e mudanças nas condições de qualidade de vida, as emissões da substância aumentaram mais de 176 vezes, nos últimos 170 anos. Em números, elas passaram de 197 milhões de toneladas, em 1850, para quase 35 bilhões, em 2020.

E o que tem poluído tanto? A resposta está relacionada ao aumento expressivo das emissões relacionadas ao uso de energia, em suas diversas formas, responsáveis por 72,2% do que é jogado na atmosfera.

Nesse sentido, os especialistas apontam a utilização da matriz energética produzida a partir da incidência solar e da força dos ventos como saídas viáveis para um ambiente muito mais equilibrado.

De olho nessa necessidade, o SENAI Ceará tem estreitado as relações com executivos de empresas, como a dinamarquesa Maersk Training, a australiana Fortescue, além da agência internacional alemã GIZ.

Recentemente, o Superintendente do SESI Ceará e Diretor Regional do SENAI Ceará, Paulo André Holanda, liderou uma agenda internacional, como estratégia de benchmarking, à Alemanha e à Dinamarca.

A missão foi acompanhada pela assessora SESI SENAI para Transição Energética, Isabela Maciel, e pelo Gerente do Instituto SENAI de Tecnologia e do Centro de Inovação do SESI, Carlos Egberto Mesquita. “Nós assinamos um memorando de entendimento (MoU) com o Instituto Fraunhofer ICT para desenvolver, juntos, pesquisas bilaterais sobre hidrogênio verde e crédito de carbono. O ato, portanto, está totalmente alinhado às orientações do Presidente da FIEC, Ricardo Cavalcante, e representa um interesse mútuo para desenvolvermos futuros projetos de pesquisa e, assim, criarmos uma metodologia para certificação de emissões de carbono no Ceará, além de fomentar a elaboração de pesquisas e de inovações relacionadas à produção de combustíveis sustentáveis”, disse Paulo André Holanda.

Missão fechou parcerias com várias empresas na área energética — Foto: divulgação

Ainda no contexto das práticas sustentáveis, a FIEC também criou um núcleo ESG, sigla norte-americana que, em português, significa meio ambiente, sociabilidade e governança. “Sob a liderança do presidente da FIEC, Ricardo Cavalcante, e do diretor financeiro e líder do núcleo ESG, Edgar Gadelha, já entregamos o selo ESG-FIEC para oito empresas e indústrias que adotaram as práticas e, hoje, servem de modelo econômico sustentável. Uma das últimas foi a BCP, que atua na área da construção de plantas de geração de energia, em parceria com o SESI Ceará e o SENAI Ceará – um trabalho fundamental para a formação da mão de obra que ela precisa para atender a esse mercado”, ressalta a coordenadora do núcleo, Alcileia Farias.

Cerimônia de entrega do Selo ESG-FIEC, na Casa da Indústria — Foto: divulgação

SERVIÇO:

Link original da notícia: https://g1.globo.com/ce/ceara/especial-publicitario/fiec-federacao-das-industrias-do-estado-do-ceara/a-industria-em-foco/noticia/2023/08/28/senai-ceara-oferece-mais-de-30-cursos-voltados-para-a-area-da-transicao-energetica.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *