DF registrou 1.503 novos casos de Covid-19 no mês de agosto

DF registrou 1.503 novos casos de Covid-19 no mês de agosto

DF registrou 1.503 novos casos de Covid-19 no mês de agosto

De acordo com Secretaria de Saúde, a taxa de transmissão da Covid-19 está em 1,15. O número quer dizer que cada 100 pessoas infectadas podem transmitir a doença para outras 115, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Quando a taxa está acima de 1, significa aumento do contágio do vírus.

Ela foi diagnostica no dia 11 de agosto com sintomas respiratórios. A paciente foi internada, tratada e recebeu alta no dia 14 de agosto.

“Embora seja altamente contagiosa, a mutação não demonstrou sinais de grande risco para a maior parte da população”, diz a Secretaria de Saúde.

De acordo com o Ministério da Saúde, as recomendações sanitárias em relação às medidas de prevenção à Covid seguem as mesmas e não foram alteradas a partir da confirmação da nova variante.

O que é variante Éris (EG.5) e quais os sintomas

🦠🌍 Segundo informações divulgadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a EG.5 é uma subvariante da Ômicron. Ela que foi identificada pela primeira vez em fevereiro de 2023 e, desde então, foi observado um aumento no número de casos relacionados a essa variante, principalmente em países como Reino Unido e Estados Unidos.

Ainda de acordo com a OMS, até o momento, a subvariante EG.5 não demonstrou maior gravidade ou riscos significativos em comparação com outras variantes. De acordo com a Saúde, até o momento, os relatos sobre a variante Éris são de sintomas muito parecidos com os que são causados pela ômicron original. Entre eles:

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Dor no corpo
  • Dor de garganta
  • Nariz escorrendo

De acordo com o professor Tarcísio M. Rocha Filho, do Núcleo de Altos Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento e do Instituto de Física, da Universidade de Brasília (UnB), não há aumento significativo tanto no Brasil como no DF. “No entanto ainda ocorrem mortes. No Brasil 113 na última semana, segundo o Ministério da Saúde”.

“Devemos observar que quase não se testa mais, portanto as mortes é que dão uma ideia mais realista da circulação do vírus, que continua presente. Continuaremos observado para ver se há alguma mudança de tendência”, afirma Tarcísio.

De acordo com o pesquisador, a vacinação é a melhor proteção contra a doença. “A maior parte das mortes, cerca de 90%, ocorre entre os não vacinados. Há apenas uma leve tendência de subida de casos, mas ainda é cedo pra caracterizar como uma onda. Nenhuma morte ocorreu no DF nos últimos 30 dias”.

Vacinação no DF

Vacinação contra Covid-19 no DF — Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

A SES-DF mantém a vacinação como a principal medida para combater a pandemia de Covid-19. Desde o início da campanha na capital, em 19 de janeiro de 2021, já foram aplicadas mais de 7,8 milhões de doses, sendo 534 mil da bivalente, atualmente disponível para toda a população acima de 18 anos.

Mais de 81% da população já recebeu pelo menos uma dose da vacina e 78,5% completaram o esquema vacinal de duas doses.

Porém, os índices são mais baixos em termos de doses de reforço e entre a população infantil. Cerca de metade da população (48,9%) não recebeu nem uma dose de reforço.

Entre as crianças de 5 a 11 anos, 44,6% não tomaram a segunda dose. Na faixa etária de 3 e 4 anos, o índice sobe para 83,6%, e entre os bebês de 6 meses a 2 anos (faixa etária da criança diagnosticada com a nova subvariante), 91,1% não completaram o esquema vacinal duas doses.

Leia mais notícias sobre a região no g1 DF.

Link original da notícia: https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2023/08/31/df-registrou-1503-novos-casos-de-covid-19-no-mes-de-agosto.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *