Coronel da reserva da PM é preso após fugir de blitz, no DF

Coronel da reserva da PM é preso após fugir de blitz, no DF

Coronel da reserva da PM é preso após fugir de blitz, no DF

Segundo o boletim de ocorrência, o militar foi preso por resistência, desobediência e embriaguez ao volante. Os agentes do Departamento de Trânsito (Detran) e da PM informaram que o flagrante aconteceu próximo ao túnel Rei Pelé, sentido Estádio Abadião.

Na delegacia, o policial preferiu ficar calado. Durante audiência de custódia neste domingo (10), ele foi liberado, mas deve cumprir medidas cautelares (veja detalhes abaixo). O g1 tenta contato com a defesa do militar. A reportagem aguarda uma resposta da PM.

De acordo com eles, o coronel foi parado na blitz mas se recusou a fazer o teste do bafômetro. Quando os documentos do militar iam passar por análise, ele fugiu em alta velocidade em direção à Ceilândia.

Em seguida, Marcilon passou a ser perseguido por agentes do Detran e policiais militares. O coronel foi alcançado na QNE, em Ceilândia, onde ocorreu a prisão.

Reação

No momento da prisão, o militar resistiu com violência e empurrou todos para não ser abordado, segundo os policiais e os agentes. Ele foi imobilizado e algemado no chão.

Após ser contido, o coronel se identificou como militar. Segundo os agentes, ele estava com sinais de embriaguez: olhos vermelhos, cheiro de bebida e “comportamento extremamente agressivo”.

Marcilon se recusou a fazer o teste do bafômetro pela segunda vez, mas o flagrante foi feito a partir dos sinais de alteração da capacidade psicomotora.

Ao resistir a prisão, ele se machucou e foi levado ao Hospital Regional de Taguatinga, onde foi medicado. Em seguida, ele foi levado à delegacia da região e transferido para o 19° Batalhão da PM, onde ficam os militares presos.

No dia seguinte, Marcilon foi solto durante audiência de custódia. Segundo o alvará de soltura, o militar foi posto em liberdade provisória sem fiança, mas ele vai ter que cumprir medidas cautelares, entre elas:

  • Está proibido de frequentar estabelecimentos comerciais que tenham como principal atividade a venda de bebidas alcoólicas, como bares e casas noturnas;
  • Tem que ficar em casa das 20h às 6h;
  • Não pode dirigir.

Caso o policial desobedeça alguma dessas regras, ele pode ter a prisão preventiva decretada.

Infração gravíssima

Dirigir sob efeito de álcool é infração gravíssima e gera penalidade de sete pontos na carteira. O motorista ainda tem de pagar multa no valor de R$ 2.934,70. A habitação é recolhida e o motorista precisa passar novamente pela autoescola para voltar a dirigir.

Se o teste do etilômetro (popularmente chamado como teste do bafômetro) confirmar a presença de 0,3 miligrama de álcool por litro de ar expelido ou mais, o motorista é autuado por crime de embriaguez ao volante.

Caso o motorista provoque acidente de trânsito que resulte na morte de alguém ou lesões corporais graves, a pena vai de cinco a oito anos de prisão.

Leia outras notícias da região no g1 DF.

Link original da notícia: https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2023/09/11/coronel-da-reserva-da-pm-e-preso-apos-fugir-de-blitz-no-df.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *