Amor de mãe: moradora do DF doa rim para ajudar filho com doença grave

Amor de mãe: moradora do DF doa rim para ajudar filho com doença grave

Amor de mãe: moradora do DF doa rim para ajudar filho com doença grave

Cerca de 10 milhões de brasileiros têm distúrbios renais, segundo o Ministério da Saúde. Só no ano passado, no Brasil, foram realizados 5.368 transplantes de rim. No DF, 652 pessoas esperam pela cirurgia do órgão, que é o mais transplantado no país (veja detalhes abaixo)

O advogado Daniel Gil já esteve nessa fila. Ele tinha 26 anos quando descobriu que sofria de doença renal crônica, em 2009. A descoberta aconteceu durante uma ida ao hospital para tratar uma sinusite. Durante a triagem, os enfermeiros perceberam que ele estava com pressão alta.

“Eu passei o resto da noite no Hospital do Coração fazendo exames cardiológicos. Ao final, o cardiologista me chamou e disse que eu não tinha problemas de coração e que pressão alta, quando não é coração, pode ser um problema renal” conta o advogado.

Quando procurou um nefrologista, Daniel descobriu que só 30% dos órgãos estava funcionando. O advogado tratou a doença por 14 anos com um procedimento conhecido como “Tratamento Conservador” — controlando a pressão com uso de medicamentos, eliminando o sal da alimentação e praticando atividade física.

Junto ao filho, Célia Gil também decidiu mudar os hábitos de vida, pensando em ser doadora caso Daniel precisasse de um transplante. E ele precisou. No ano passado, a função renal começou a cair, dando a ele apenas duas alternativas: um transplante de rim ou diálise — processo de estímulo artificial de função dos rins.

O transplante foi o escolhido. Mãe e filho fizeram exame de compatibilidade, o resultado foi positivo e a cirurgia foi feita em maio deste ano. Mãe e filho estão bem e já voltaram à rotina.

“Foi uma benção, uma alegria, uma satisfação né? Me deu a vida novamente, uma expectativa maior de vida,” diz Daniel.

Transplantes no Brasil

Segundo o Ministério da saúde, no Brasil, 10 milhões de pessoas têm distúrbios renais, fazendo com que os rins sejam os órgãos mais transplantados no país. Só no ano passado, foram realizados 5.368 transplantes — 86% das operações feitas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com o nefrologista Pedro Menezes, o rim é o filtro do organismo e tem a função de se livrar das impurezas do corpo.

“A doença renal crônica ocorre quando o rim deixa de funcionar adequadamente, de forma permanente e irreversível. Ela tem várias causas e as duas mais comuns são pressão alta e diabetes. Outras causas não tão comuns são abusos de medicamentos, como anti-infamatórios e doenças autoimunes” explica o médico.

De acordo com o Ministério da saúde, o Distrito Federal tem 1.326 pessoas aguardando por um transplante:

  • Rim (652 pessoas);
  • Córneas (611 pessoas);
  • Coração (42 pessoas);
  • Fígado (21 pessoas).

Leia mais notícias sobre a região no g1 DF.

Link original da notícia: https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2023/08/28/amor-de-mae-moradora-do-df-doa-rim-para-ajudar-filho-com-doenca-grave.ghtml

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *